NA RIQUEZA E NA POBREZA?

E aí pessoal, preparados para serem traídos e traírem de mais uma forma diferente? Tenho que admitir que até ontem, pra mim, infidelidade era uma palavra triste que significava que seu namorado, namorada, caso, affair, enfim, alguém que mantenham um relacionamento com você, opta por procurar mais “calor humano” (se é que podemos chamar assim) com outras pessoas.

Mas hoje em dia você já pode trair a confiança de seu parceiro ao gastar mais que ele, se impor quando ganhar mais, omitir aquelas comprinhas que estouraram o cartão, ou até ao esconder um dinheiro extra para futuras despesas.

O ser humano tende a arrumar descrições e explicações para tudo a sua volta. Assim, a maioria das brigas de casais, as chamadas DR (Discussões de relacionamento) agora já possuem uma explicação. Pelo menos para grande maioria dos casos: INFIDELIDADE FINANCEIRA.

Não são raros os casamentos que entram em crise por que uma das partes gasta mais que a outra e esconde esse fato. Ou até menos por que um ganha mais do que o outro e se sente no direito de ser então “o dono (a) da casa”.

O consultor financeiro Flávio Oliveira, citou no blog Karin Klemm que para um casamento tranquilo “o diálogo é algo preponderante. Conversar sobre a situação, definir objetivos mútuos e batalhar para que isso seja alcançado. Não se deve deixar para falar sobre o dinheiro apenas quanto o cinto aperta. Pois aí, o assunto não será mais sobre o dinheiro sobre a falta dele.”

Minha mãe já dizia que não da pra viver de amor. É necessário trabalho, e cumplicidade entre o casal para compartilharem os momentos felizes e principalmente os de crise. Afinal, que marido gostaria de trabalhar somente para sustentar luxos e dívidas da esposa? E que mulher gostaria de sustentar seu marido barrigudo que passa o dia todo no sofá vendo tv? Dá-lhe Homer Simpson que pelo menos trabalha.

Uma pesquisa realizada pelo Pew Research Center com mais de dois mil adultos norte-americanos revelou que, entre os anos de 1990 e 2007, cresceu de 46% para 53% o número de pessoas que achavam que o dinheiro é o fator mais importante para o sucesso do casamento.

Não deixa de ser um fator importante, pois determina o estilo de vida que o casal levará. Mas nem só de dinheiro vive o mundo. Então é preciso que haja equilíbrio.

Assim, como disse Gustavo Cerbasi, autor do livro casais inteligentes enriquecem juntos, para o site Info Money, “É preciso poupar sim, mas não tudo, afinal dinheiro foi feito para gastar. Para ganhá-lo nós perdemos tempo em que poderíamos estar com as pessoas que amamos, por isso ele deve nos trazer prazer, e poucos sentem prazer em guardar tudo. No entanto, é preciso gastar com inteligência e consciência, porque dinheiro não traz felicidade, mas permite que a gente tenha maior liberdade para escolher fazer apenas o que quer, e isso sim nos faz feliz”

E é importante lembrar que esse fator financeiro também vale para namorados e pode ajudar, e muito, em planejamentos como investimentos, viagens, presentes, futuras aquisições e etc.

Então sejamos felizes, na riqueza, na pobreza, na saúde e na doença. Boa sorte pra gente!

Anúncios

2 pensamentos sobre “NA RIQUEZA E NA POBREZA?

Poste aqui sua dúvida, comentário, crítica ou sugestão. E seja muito bem vindo (a) ao blog Menina de Negócios. :)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s