Chuvas, enchentes e a Lei de Murphy

Vocês conhecem a ley de Murphy?

O criador dessa lei foi o capitão da Força Aérea americana, Edward Murphy, e também foi a primeira vítima conhecida de sua própria lei. Ele era um dos engenheiros envolvidos nos testes sobre os efeitos da desaceleração rápida em piloto de aeronaves.

Para poder fazer essa medição, construiu um equipamento que registrava os batimentos cardíacos e a respiração dos pilotos. O aparelho foi instalado por um técnico, mas simplesmente ocorreu uma pane, com isso Murphy foi chamado para consertar o equipamento, descobriu que a instalação estava toda errada, daí formulou a sua lei que dizia: “Se alguma coisa tem a mais remota chance de dar errado, certamente dará”.

E foi isso que aconteceu essa semana. Se dizem que um raio nunca cairá duas vezes no mesmo lugar, mas existe a remota possibilidade dele cair, isso acontecerá! E ele caiu!

Ontem, por causa da chuva torrencial que resolveu cair no sudeste brasileiro, a energia na cidade de Machado também caiu. E a queda foi tripla pois ela tentou resistir e antes que desse tempo de tirar todos aparelhos da tomada, ela acendeu e apagou por três vezes até apagar totalmente.

Nesse brincadeira de acende e apaga, meu telefone queimou, e como o raio pode SIM cair duas vezes no mesmo lugar, o roteador da internet também queimou. E tudo isso aconteceu justo no dia que eu tinha que fazer um pedido pela internet e ligar para mil pessoas! LEI DE MURPHY!

Mas o que fazer quando todas essas leis do universo estão contra você?

Pagar os danos e lamentar? Ou correr atrás do prejuízo?

A resposta é simples e fará muito bem para seu orçamento mensal: Correr atrás do prejuízo! E é muito simples.

Eu achei que teria que recorrer ao Procon, e de fato na maioria das vezes esse processo é mais eficiente do que uma inciativa solitária com as empresas. Mas nesse caso, a CEMIG, concessionária de energia que atende Minas Gerais, foi muito eficiente. O telefone 116 da CEMIG, me atendeu prontamente. E sem rodeios a funcionária me pediu que conseguisse a marca, o modelo, o tempo de uso e o número de série do equipamento. Segundo ela, um funcionária seria enviado para avaliar o aparelho e ele seria restituído sem problemas.

Confesso que não esperava essa atitude por parte da agência. E fiquei surpresa ao ser tão bem atendida. Acho que o brasileiro está tão acostumado a não ter seus direitos que nem sequer acredita que recorrer a favor deles será um ato válido. E hoje ainda descobri que a Cemig fará uma redução média da tarifa de 1,48% que será aplicada a partir desta quinta-feira 08 de abril.

Segundo o Código de Defesa do Consumidor, a pessoa tem o prazo de 90 dias, a contar da data provável da ocorrência do dano elétrico no equipamento, para solicitar o ressarcimento à concessionária e deverá informar a data e horário provável da ocorrência do dano, estar com a fatura de energia elétrica mais recente, além de fornecer os dados necessários.

Em até 20 dias um funcionário fará a vistoria e se for aceito a concessionária poderá ressarcir com dinheiro ou pagar o conserto. Se não for aceito ela deverá apresentar, por escrito, as razões detalhadas da negativa, informando ao consumidor sobre o direito de formular reclamação à Agência Estadual Conveniada com a Anell.

A lei de Murphy persegue mesmo os brasileiros, mas se ficarmos quietos só sofreremos com isso. O jeito é dar a volta por cima e reivindicar seus direitos para driblar essa lei!

Essa é uma ótima forma de garantir mais uns centavinhos no fim do mês, boa sorte pra gente!

Anúncios

Um pensamento sobre “Chuvas, enchentes e a Lei de Murphy

  1. Bom dia, Tatiana! Acho que não deveria ser demasiado otimista, apesar da sorte que teve! Todos desejamos que as coisas funcionem bem, claro! E fazemos a nossa parte para que isso ocorra! Nós, do setor elétrico gerador e transmissor, sabemos como as coisas funcionam nas concessionárias e procons da vida. O nome da agência reguladora é ANEEL. A Cemig, que está mais privada do que estadual, tem uma das mais caras tarifas de energia elétrica do Brasil! Se ela diminuir um pouco essa tarifa, não estará fazendo favor algum para qualquer consumidor! Ela não é tão rápida e eficiente, como foi com você, em relação aos demais consumidores!!! O Procon é um órgão teórico: fala, mas não age, ou não tem força para tanto! Um raio, ao contrário da crença popular, cai, sim, duas vezes no mesmo lugar! Isso porque o dielétrico do ambiente/ar foi rompido pelo primeiro raio e deixa caminho mais fácil para um segundo (ou mais!) evento de descarga atmosférica. Como o raio procura o caminho mais fácil/curto, você imagina o que pode acontecer!
    Obrigado pela atenção! Estou à sua disposição!
    Abraço e, outra vez, bom dia!
    a) José Luiz.

    Curtir

Poste aqui sua dúvida, comentário, crítica ou sugestão. E seja muito bem vindo (a) ao blog Menina de Negócios. :)

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s